Lifestyle

A chegada do comboio…

O comboio anuncia a sua chegada, o som que se intensifica a cada segundo deixa adivinhar que está próximo o momento em que várias famílias vão, finalmente, voltar a ser família.

Entre eles, uma jovem mulher que viu o seu marido partir para a guerra. Tinha passado demasiado tempo desde que a última vez que o viu e os breves minutos que faltavam para o reencontrar parecia que nunca mais chegavam ao fim.

Os dias foram passando, depois os meses e por último os anos em que os recém-casados vivam longe um do outro. A angústia de viverem na incerteza de como o amado estava era enorme e as notícias eram escassas e tão demoradas que não aliviava a preocupação que sentiam.

O comboio está a chegar, a velocidade começa a diminuir até parar. As portas abriram-se e um a um os passageiros vão descendo e procurando aqueles que tão pacientemente os aguardam.

Por entre os viajantes surge um jovem militar procurando a sua amada. Os olhares que se cruzam denunciam o amor que ainda sentem, mesmo depois de tanto tempo separados. A vontade de se verem, tocar, sentir é tanta que começam a correr, sem nada mais importar.  Os braços entrelaçaram-se num abraço sentido e os lábios, finalmente, sentiram o toque um do outro. E todo o tempo que lhe fora retirado para viverem o seu amor tinha assim sido esquecido e toda a distância que os tinha separado já não existia mais.

A mala abandonada pelo jovem militar carrega muito mais de os seus pertences. Carrega a certeza que o amor vence tudo, até a guerra, carrega a certeza que no amor não há distância que o separe ou tempo que o apague. Na mala transporta ainda o maior presente para a sua amada: uma nova esperança.

new hope, chegada de comboio

 

 

Ainda não tinha partilhado este texto para o Escrevinhar(te).  O que acharam?

2 Replies to “A chegada do comboio…”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.